Fernando Correia

Utilidade dos 2 novos datacenters do Azure

In Novidades on 10 abr 2012 at 13:51

Microsoft_DC1

Há poucos dias, a Microsoft anunciou a disponibilidade de 2 novos datacenters do Windows Azure nos Estados Unidos. É um crescimento significativo, dobrando de 2 para 4 o número de datacenters na América. Os novos datacenters estão na regiões “West US” e “East US”. A empresa informou que as novas ofertas têm por objetivo atender ao aumento da demanda. O preço do Windows Azure é uniforme em todos os datacenters em que está disponível.

Luciano Condé publicou um tutorial sobre como utilizar os novos datacenters. É importante notar que estes novos datacenters oferecem apenas os serviços de computação e armazenagem de dados. Não oferecem ainda outros serviços como SQL Azure, Service Bus, Active Directory, Caching. Ou seja, suportam execução de aplicações e armazenamento de dados no Table Storage, Blob Storage e Queue Storage.

Para obter o melhor desempenho, é recomendável que aplicações que utilizam diversos serviços (como computação, SQL e Caching) sejam configuradas para consumir todos estes serviços no mesmo datacenter. Portanto os novos datacenters são adequados para aplicações típicas de nuvem, como serviços escaláveis que armazenam dados não-relacionais. Também são indicados para consumo direto de Table Storage e Blob Storage, por exemplo em aplicativos móveis ou soluções de backup de dados.

Eu vejo dois benefícios principais no uso dos novos datacenters, para aplicações que necessitem apenas dos recursos que eles suportam:

Disponibilidade

Considerando que a partir do Brasil os datacenters Azure que normalmente respondem mais rápido são os que estão nos Estados Unidos, agora temos a possibilidade de ter uma instalação de contingência de nossa aplicação não apenas em um segundo datacenter americano, mas em quatro.

Velocidade

Um dos fatores que mais influencia a percepção do usuário do desempenho de uma aplicação na Internet é a latência de rede. Não apenas a distância geográfica, mas a quantidade de conexões de rede necessárias para acessar o datacenter, influenciam o tempo de resposta. Quanto menor este tempo de resposta, maior vai ser a sensação de velocidade que o usuário terá.

Seria interessante medir o tempo médio de resposta no Brasil de cada um dos 4 datacenters Azure dos Estados Unidos, através de diversos provedores de Internet brasileiros. Idealmente, deveria ser escolhido aquele com menor latência. Wayne Berry publicou um artigo ensinando como fazer esta medição.

Outra estratégia possível é implantar a aplicação em diversos datacenters ao mesmo tempo e utilizar o Windows Azure Traffic Manager para redirecionar cada usuário para o datacenter que for mais rápido para ele. Em uma aplicação com usuários em vários países esta abordagem é ainda mais benéfica.

O que você pensa sobre esta notícia? Compartilhe nos comentários abaixo ou pelo Twitter.