Fernando Correia

Modalidades de serviço na nuvem

In Conceitos on 24 set 2012 at 12:06

Na computação em nuvem, recursos de computação são oferecidos como serviços gerenciados. Estes serviços são classificados em três modalidades principais: Infraestrutura como Serviço, Plataforma como Serviço e Software como Serviço.

Infraestrutura como Serviço

Conhecido como IaaS (Infrastructure as a Service), é o oferecimento de recursos fundamentais de computação, como datacenter, servidores, redes e sistemas de armazenamento de dados, na forma de serviços gerenciados. Esta modalidade possibilita que os especialistas de infraestrutura de TI utilizem equipamentos de um prestador de serviços, sem precisar adquiri-los, pagando conforme o uso. A instalação e configuração do sistema operacional, software básico e aplicações fica por conta dos técnicos de TI da sua empresa (ou de consultores contratados).

Plataforma como Serviço

Conhecido como PaaS (Platform as a Service), é o oferecimento de serviços que aceleram e simplificam o desenvolvimento de aplicações que tirem proveito das melhores características da computação em nuvem. Esta modalidade possibilita que desenvolvedores de software criem aplicações que serão hospedadas na nuvem.

Software como Serviço

Conhecido como SaaS (Software as a Service), é o oferecimento de aplicações como serviço. Essa modalidade oferece aos usuários finais a possibilidade de utilizar uma aplicação na nuvem sem preocupar-se com aquisição de servidores, licenciamento de software, instalação, configuração, administração. Basta abrir a aplicação no browser e começar a utilizá-la.

Conclusão

As diversas modalidades de computação na nuvem representam níveis diferentes de terceirização.

No nível não terceirizado, fica por conta da sua empresa desde a infra-estrutura básica como energia elétrica, refrigeração, rede e servidores, sistemas operacionais, software básico, instalação e configuração de aplicativos e a administração de todos esses recursos. Este modelo permite total controle, mas custa caro fazer tudo isto com segurança e disponibilidade, e ainda corre-se o risco de ou investir demais e ficar com os equipamentos sub-utilizados, ou não prever um aumento da demanda e ficar com o sistema sobrecarregado.

No segundo nível, terceirizando a infra-estrutura, o provedor de serviços fornece o datacenter e os equipamentos, e a equipe da sua empresa cuida do restante. No nível intermediário, de plataforma como serviço, o provedor de serviços também se encarrega da segurança e disponibilidade dos sistemas operacionais e softwares básicos. Finalmente, no último nível, o provedor de serviços entrega uma aplicação funcionando, com desempenho, disponibilidade e segurança de acordo com os níveis definidos em um contrato de prestação de serviços.

Cabe à empresa decidir a melhor modalidade para cada tipo de aplicação. Algumas ainda ficam melhor sendo processadas internamente; outras poderão se beneficiar de uma modalidade intermediária como IaaS ou PaaS. Os maiores ganhos de eficiência virão se for encontrada uma aplicação como serviço, no modelo SaaS, que atenda as necessidades da empresa. Assim evita-se o desvio de foco do negócio para preocupar-se com infra-estrutura de informática.